Igreja Batista em Quitaúna

A experiência do céu na terra

[Meditações no Salmo 128]

Alguns textos das Escrituras, se entendidos literalmente, podem gerar um grande mal-estar no leitor. Esse mal-estar não é fruto de uma intenção maldosa – ou herética – de quem deseja deturpar o texto em prol de algum tipo de benefício próprio. Não. É um mal-estar justo e adequado frente a um tipo de religião que lê o texto de maneira inadequada. Por exemplo: imaginem aquele ou aquela que não se casou, que não tem uma esposa ou esposo, tão pouco filhos para juntar ao redor da mesa em um domingo ensolarado. Ou então o casal que não pode gerar filhos, ou que tentou e devido a circunstância misteriosas da existência a mulher sofreu um aborto espontâneo. Se tomadas ao pé da letra, deparar-se com as palavras do salmista pode significar algumas coisas. A falta de temor e zelo do Senhor, resultando no castigo divino e consequente falta de alegria e prosperidade na vida. Ou, quem sabe, se aquele ou aquela quem lê estiver confiante do seu compromisso com o Eterno, um grande nó na cabeça em virtude de se crer na literalidade bíblica.

Deixando essa leitura simplista, racionalista e tola de lado, acredito que o texto nos diz coisas fundamentais sobre a nossa espiritualidade. Primeiro: temer a Deus, reconhecendo a sabedoria inserida na lógica bíblica como grande norteadora da nossa caminhada é um caminho excelente. Não se trata de um caminho mágico, em que todos os problemas, dores ou sofrimentos serão eliminados. Essa ideia é infantil. Continuaremos enfrentando doenças, dificuldades e desafios gigantes, tendo ou não o temor de Deus. A questão é que ter no Eterno a fonte de sabedoria significa aprendermos a viver. E a vida que se vive com a sabedoria divina é uma vida mais abundante do que a outra. Ouvir e obedecer a Deus significa que estamos em um caminho inteligente, cheio de conhecimento e discernimento. Dessa forma, independente das circunstâncias, a felicidade estará próxima, a família estará unida (independente da configuração) e as bençãos do Senhor estarão sobre nós. Segundo ponto que o salmista nos faz pensar é a imagem utópica dessa cidade de Jerusalém. Infelizmente o mundo não é perfeito. Os problemas são reais e concretos. Nem todos podem priorizar o bem-estar em volta de uma mesa farta, pois sequer casa tem. Mas percebam a imagem que o texto descreve. Uma cidade abençoada, gerações cheias de vigor e vida.

Portanto, uma sociedade em que tanto o bem-estar individual quanto o comunitário é próspero em sentido amplo da existência. Para além das literalidades, o texto nos convida para imaginar e contribuir com esse horizonte. Como como Jesus nos ensina, orar para que “venha o Teu reino”, “assim na terra, como no céu”.

Que a sabedoria do Altíssimo nos dê coragem para concretizar o sonho de Deus e vivermos a experiência do céu na terra a partir da sabedoria que procede do temor do Senhor.

Buscando a Sabedoria

Igreja Batista em Quitaúna
Igreja Batista em Quitaúna
Buscando a Sabedoria
/

Final de ano é sempre uma oportunidade de fazermos uma análise profunda sobre a vida. Na minha análise pessoal, decide que quero ser alguém mais sábio. Para tanto, me debrucei no livro de Provérbios e busquei caminhos para a Sabedoria.

Primeiro caminho: é desejar a Sabedoria. Para sermos mais sábios, precisamos nos reconhecer como necessecitados e carentes de sabedoria. O orgulhoso está sempre na contramão da sensatez e é uma tolice. Somente um coração humilde encontra a Sabedoria do alto.

Segundo caminho: observando o texto de Provérbios, encontramos virtudes presentes em toda Bíblia. O sábio sempre se coloca contra a preguiça, a impaciência, a ganância, a inveja. As virtudes recorrentes no texto bíblico devem passar a serem praticadas na Vida.

Terceiro caminho: o compromisso com os pobres. As Escrituras insistem e persistem em mostrar que Deus tem um compromisso especial com os pobres, os órfaos e as viúvas. Se comprometer com os direitos daqueles que não tem direitos faz parte da sabedoria bíblica. É sábio tomar o partido dos indefesos e necessitados.

Quarto caminho: ouvir. Alguém já disse que temos dois ouvido e uma boca… há sabedoria na multidão de conselhos, em ouvir os pais, em acolher a repreensão. O sábio escuta, ouve.

Por fim, o quinto caminho: controlar a boca. A língua é um veneno. Falamos muito, sem pensar, apressadamente. O sábio é aquele que pensa antes de falar. Sabe silenciar. Gere bem a língua.

No ano que se abre, busquemos a Sabedoria… a desejando; agindo virtuosamente; comprometidos com os pobres; ouvindo mais; falando menos.

Abraço fraterno e feliz 2023!
André Anéas 🙏🏼❤️

Igreja: eu não vim até aqui para desistir agora!

Igreja Batista em Quitaúna
Igreja Batista em Quitaúna
Igreja: eu não vim até aqui para desistir agora!
/

1ª Carta de Paulo aos Coríntios 11: 17

Eu acredito na igreja! Chego a beirar a ingenuidade e ter um pensamento utópico… Mas acredito na igreja. Não me tornei pastor para desistir agora. Aliás, “não vim até aqui para desistir agora!”.

Entretanto, é fundamental entender que igreja é essa. Infelizmente existem igrejas que fazem mais mal do que bem. Paulo não consegue elogiar a igreja de Corinto, pois as reuniões deles faziam mais mal do que bem, distorcendo – e muito – o sentido e significado da Ceia do Senhor.

Aprendemos com Paulo que uma igreja cheia de divisões, de espírito sectário, desunida, que não possui unidade e amor, está na contramão do tipo de experiência comunitária que a fé cristã deveria ter.

Mais: toda lógica individualista nada tem a ver com Jesus! Ir à igreja e pensar somente em mim, na minha benção, no meu milagre, no meu bem estar, nada tem a ver com a fé no nazareno.

Por fim, Paulo mostra que uma igreja que tolera a humilhação do diferente, manifestada no preconceito com o empobrecido, no racismo, no machismo ou na xenofobia, é uma igreja que não sabe discernir o Corpo de Cristo.

Eu não vim até aqui para desistir agora! Por isso, insisto, trabalho e persevero no servido dentro da igreja, pois quero contribuir para que a igreja de Jesus seja um lugar em que eu queria estar com a minha família e amigos, vivendo uma experiência de fé verdadeira: uma alternativa de tudo o que existe nas culturas desse mundo.

Como você tem contribuído para que a atmosfera da igreja seja menos sectária, menos individualista e menos preconceituosa? Vamos viver de verdade a experiência de sermos comunidade de Jesus? Espero que você não tenha vindo até aqui para desistir agora… Espero que a igreja que estamos sendo faça, no mínimo, mais bem do que mal.

Abraço fraterno,
André Anéas

A casa do Pai

Igreja Batista em Quitaúna
Igreja Batista em Quitaúna
A casa do Pai
/

Lucas 15:11

A Bíblia não é um texto cheio de doutrinas, dogmas. Não é uma confissão doutrinária e tão pouco um compêndio de teologia sistemática. É um livro cheio de narrativas, cheio de histórias e estórias que preenchem a nossa imaginação. Um livro com uma beleza singular, escrito para tocar o nosso coração.

A parábola do filho pródigo é um exemplo notável disso. Estória genial, que inspirou Rembrandt, Jesus nos fala sobre o amor de um Pai que recebe seu filho irresponsável de volta. Em tantas leituras possíveis, conseguimos imaginar os detalhes que fazem parte da “casa do Pai”. Sobre isso que quero lhe falar…

A casa do Pai do filho pródigo é uma casa que deve povoar a imaginação que sustenta a nossa espiritualidade cristã. Nessa casa temos um chão feito de liberdade, que possibilita o amor verdadeiro. Na casa do Pai temos fartura de alimento e dignidade para todos. Nela, a graça é derramada abundantemente. Há alegria: é lugar de dança e de festa! Na casa do Pai há paciência e lugar para a confissão que cura e amadurece os filhos e filhas que ali habitam.

A nossa igreja é como a casa do Pai?
Você é casa do Pai?

Que a nossa vida tenha o cheiro da casa do Pai, pois é lá, que aprendemos acerca do Deus revelado em Jesus!

Abraço fraterno,
André Anéas ❤️

Nascer de novo: sair da noite e ir para o dia

Igreja Batista em Quitaúna
Igreja Batista em Quitaúna
Nascer de novo: sair da noite e ir para o dia
/

João 3: 1

Como pregador do evangelho, anseio ver as pessoas desfrutando da transformação que Jesus pode fazer no humano. Sei da incapacidade humana em promover essa mudança/conversão/“novo nascimento”. Mas é um tanto frustrante perceber o coração endurecido das pessoas – principalmente religiosas -, as impedindo de vivenciar a experiência de estar na luz…

Estar na noite, na escuridão e na obscuridade é habitar o local do medo, da vergonha e da mentira. Quem vive na noite tem medo da luz, pois sabe que a luz fará com que toda a falsidade e más intenções apareçam, se manifestem.

Quem vive na luz não é perfeito… Mas vive sem vergonha, vive na liberdade do Espírito, vive sem ter o que esconder, vive como perdoado e redimido. Quem nasce da água e do Espírito vive a humanidade que Deus deseja para cada um de nós: cheia de bondade, amor, perdão e domínio próprio, graça e misericórdia. Sem ressentimento, mágoas e com feridas cicatrizadas.

Enquanto as trevas da noite destroem nossa relações, família e adoecem a igreja com seu legalismo, supressão da Vida e literalismo arcaico, a luz de Jesus nos permite vivenciar a experiência da transparência, uma experiência de humanos pacificados, experimentando o novo que há em Jesus!

Nicodemos em sua religião envelhecida estava na noite. Conhecia o Deus que era, mas não o Deus que É. Oro para que possamos experimentar esse novo nascimento que nos conduz à luz e nos tira das trevas da surdez e cegueira de uma religiosidade ultrapassada.

Luz! Que vivamos nEle, deixando todo o medo para trás!

Abraço fraterno,
André Anéas

A fascinação totalitária que destrói as relações

Igreja Batista em Quitaúna
Igreja Batista em Quitaúna
A fascinação totalitária que destrói as relações
/

Marcos 10: 35

Todos nós corremos o risco de nos fascinar com lógicas totalitárias, fascistas, ditatoriais. Não somente no espaço público-politico, mas nas relações humanas, queremos dar a última palavra, “mostrar quem manda”.

Esse caminho intoxica as relações. Transforma conversas em monólogos. Deixamos de aprender com o próximo, de nos edificar mutuamente enquanto humanos. Nossa vida é empobrecida.

“Não será assim entre vocês”, disse Jesus. Ele propõe outro caminho, que não é o da glória, das altas posições e, tão pouco, do autoritarismo em nosso modo de ser no mundo. A proposta de Jesus é humana, do serviço ao outro, livre das armadilhas de um ego inflado.

Que tenhamos como ambição, a partir da espiritualidade de Jesus, uma vida de doação, entrega e olhar para o outro. Esse caminho conduz a Vida, o outro é tentação do diabo, que conduz para a morte. Escolhamos a Vida!

Abraço fraterno,
André Anéas

Você tem compromisso com o Evangelho

Igreja Batista em Quitaúna
Igreja Batista em Quitaúna
Você tem compromisso com o Evangelho
/

Lucas 17:11

Não é sobre ser #IBQ, é sobre voltar-se pra Jesus!

Abraço fraterno,
André Anéas ❤️

Quarto secreto: local da contemplação

Igreja Batista em Quitaúna
Igreja Batista em Quitaúna
Quarto secreto: local da contemplação
/

Mateus 6:5

Reaprender a contemplar ao Senhor pode nos conduzir a uma vida espiritualmente mais saudável e madura. Contemplar Deus pode nos permitir adentrar um local de satisfação plena e de auto conhecimento. Para tanto, é preciso ir para o “quarto secreto”.

Abraço fraterno,
André ❤️??

Vida: Dom de Deus

Igreja Batista em Quitaúna
Igreja Batista em Quitaúna
Vida: Dom de Deus
/

Salmo 127

A Vida é dom de Deus. Não escolhemos viver. Não escolhemos respirar. Não escolhemos nascer. O palco da vida e da existência nos é dado, concedido.

O que fazemos com essa dádiva da Vida? Acredito que estamos diante de dois caminhos: negar a vida; ou valorizar a vida.

Para além de todas as dicotomias religiosas tolas e superficiais, te convido para uma reflexão séria e profunda. Nosso olhar poderá ser aberto para discernirmos o toque da eternidade em instantes preciosos da existência.

Oro para que você veja e perceba o Eterno em cada segundo, valorizando e honrando o fôlego de vida que nós é concedido.

Abraço fraterno,
André ❤️??

Religião e Política: Quando Deus e César se misturam

Igreja Batista em Quitaúna
Igreja Batista em Quitaúna
Religião e Política: Quando Deus e César se misturam
/

Marcos 12:13

Jesus nos ensina que César e Deus precisam estar separados. Quando César – poder político – e Deus se misturam, a nossa alma está em risco.

Em tempos de um Brasil evangélico confuso e confundido diariamente, é urgente aprender com Jesus o elementar.

Entregar para César o que é de Deus é adentrar o terreno da mentira e da manipulação em prol de votos. É trair o evangelho. É entregar para César aquilo que deveria ser apenas do Eterno: nossa esperança, nossas relações, nossa espiritualidade…

Entregar para Deus o que é de César é imaturo, infantil e beira ao ridículo. Deus não precisa de César. Deus não joga o jogo de César.

Precisamos ouvir Jesus e a sabedoria do evangelho hoje! Que o Espírito do Cristo ilumine a nossa mente e o nosso coração para exercermos a nossa cidadania de maneira adequada.

Abraço fraterno,
André ❤️??

Rolar para cima